Funcionárias de loja em Aracaju são indiciadas por racismo

Duas irmãs negras prestaram queixa após terem as bolsas revistadas por policiais militares na Loja Marisa, no Centro de Aracaju (SE). O boletim de ocorrência relatou constrangimento ilegal.

Duas funcionárias de uma loja, no Centro Comercial de Aracaju, foram indiciadas por racismo. A informação foi divulgada pela Secretaria da Segurança Pública de Sergipe (SSP-SE), neste sábado (25). O caso teve início, depois que duas mulheres negras foram abordadas sob suspeita de terem realizado um furto.

A delegada Meire Mansuet, que investiga o caso, informou que toda a investigação aponta para o crime de racismo, e que a conclusão do inquérito foi apresentada ao Ministério Público de Sergipe (MPSE).

O g1 não conseguiu localizar a defesa das funcionárias.

Entenda o caso

Duas irmãs negras prestaram queixa após terem as bolsas revistadas por policiais militares na Loja Marisa, no Centro de Aracaju (SE). O boletim de ocorrência relatou constrangimento ilegal.

A babá, Simone Matos, 38 anos, e a empregada doméstica, Mônica Mattos, de 46, contaram que escolhiam roupas quando foram abordadas. A cunhada delas filmou a cena. O vídeo mostra as duas em uma sala sendo revistadas e uma delas chora. Na sequência, elas perguntam por que apenas as duas foram abordadas.

Via G1 SE