Menos de uma semana após ser internado em leito de UTI de um hospital da rede particular da capital, o jornalista e pedagogo lagartense Euclides Oliveira do Santos, morreu aos 74 anos, vítima do novo coronavírus. Além da idade avançada, ele tinha diabetes do tipo DM2 – forma mais grave da comorbidade.

“Quero mostrar para os mais jovens o que foi Lagarto.”

Conhecido desde cedo como filho da professora Huda de Oliveira, ao longo dos anos se notabilizaria na imprensa, escrevendo para os jornais do estado: Gazeta de Sergipe, Jornal da Cidade, O Dia e Jornal de Sergipe. Trabalhou ainda para o baiano A Tarde.

Na política, o jornalista também foi destaque, tendo exercido o cargo de oficial de gabinete de ao menos sete governadores: Lourival Batista, João Andrade Garcez, Paulo Barreto, José Rollemberg, Augusto Franco, Djenal Queiroz e João Alves. Informação foi confirmada ao O Papa-Jaca pelo historiador e professor lagartense Claudefranklin Monteiro, que lamentou a perda nas redes sociais: “Um grande amigo e incentivador do meu trabalho”.

Ocupante da cadeira número 17, da Academia Lagartense de Letras (ALL), Euclides Oliveira lançou em 2017 sua última obra. ‘Garimpando Lembranças’ reúne 48 crônicas, distribuídas em mais de 180 páginas, sobre personagens do cotidiano papa-jaca. “Nesta obra, financiada com recursos próprios, eu quero mostrar para os mais jovens o que foi Lagarto”, disse à época do lançamento.