A Guarda Municipal de Lagarto (GML) deu mais um passo à regulamentação da arma de fogo. O Acordo de Cooperação Técnica (ACT), exigido pelo Estatuto do Desarmamento, entre a Prefeitura de Lagarto e a Polícia Federal foi assinado na última terça-feira (13).

Para garantir o ACT, a prefeitura precisou protocolar um Plano de Ação, detalhando o número de guardas que irão portar o instrumento, além da existência de Corregedoria e da Ouvidoria “como órgãos permanentes, autônomos e independentes”. Acompanhou a celebração do acordo, o secretário de Ordem Pública do município, Marcos França.

O Papa-Jaca apurou ainda que os guardas deverão se submeter a um curso de formação funcional, seguindo a Matriz Curricular da Secretaria Nacional de Segurança Pública, e testes bienais de capacidade psicológica. Apenas agentes que possuírem a carteira de autorização estarão aptos ao porte e, ainda assim, somente durante o serviço.

A GML já articulou o recursos para financiar os primeiros equipamentos da instituição. R$245 mil foram destinados pelo senador Alessandro Vieira (CD) após uma seleção de projetos dispostos a concorrer a alguma cota da emenda disponível. Nossa equipe verificou que serão adquiridas: pistolas .40, espingardas calibre 12mm e carabinas CTT 40.

Questionada sobre o porte já exercido por alguns dos agentes mesmo antes da regulamentação, a Guarda informou que estes seriam pontuais e de caráter individual.