Em entrevista coletiva concedida nesta tarde (31), o governador Belivaldo Chagas (PSD) apresentou as novas medidas restritivas para conter a pandemia no estado. A nova atualização mantém as restrições previstas no último decreto, com exceção da previsão para os templos e igrejas. Pela manhã, o governador já havia divulgado o adiamento do retorno das aulas presenciais da educação pública e privada, que agora está previsto para o dia 3 de maio.

Além do adiamento das aulas, a única alteração foi a suspensão da proibição do funcionamento das igrejas e templos religiosos aos sábados e domingos, permanecendo o limite de 30% de ocupação. (Atualização: também foi alterado o horário do toque de recolher aos finais de semana (sexta, sábado e domingo) que seguirá o horário do restante da semana, das 20h às 5h.)

As principais determinações continuam sendo: toque de recolher, das 20h às 5h de segunda à quinta-feira, mesmo horário para os finais de semana – sexta, sábado e domingo, com proibição de circulação de pessoas e de veículos neste horário, exceto em caso de trabalho, emergência médica ou urgência inadiável; nos dias da semana (até a quinta-feira) fica mantido o horário final de funcionamento dos estabelecimentos de serviços e comerciais, inclusive lojas de conveniência, até às 18h, e dos supermercados e similares até as 19h.

Veja os detalhes das medidas que estarão em vigor com o novo decreto:

  • Toque de recolher: a medida vai até o dia 31 de março, das 20h às 5h, exceto na sexta, sábado e domingo, que é de 18h às 5h. Durante o período, haverá proibição de circulação de pessoas e de veículos neste horário, exceto em caso de trabalho, emergência médica ou urgência inadiável. Durante o horário do toque de recolher somente poderão funcionar os serviços essenciais à população, além dos serviços de entrega em domicílio de bares, restaurantes e estabelecimentos similares.
  • Comércio: nos dias da semana (até a quinta-feira) fica mantido o horário final de funcionamento dos estabelecimentos de serviços e comerciais, inclusive lojas de conveniência, até às 18h, e dos supermercados e similares até as 19h, para garantir o deslocamento dos seus colaboradores às suas residências. Já na sexta, sábado e domingo, todos devem encerrar as atividades até as 17h – com a ressalva de que apenas os serviços comerciais essenciais, como supermercados, podem funcionar nos dois dias do fim de semana. O limite de público por estabelecimento permanece de 50%.
  • Academias, salões de beleza, bares e restaurantes: devem seguir os horários do comércio, mas com limite de 30% da capacidade de público, e não podem abrir no fim de semana.
  • Eventos: continuam proibidos até o fim do novo decreto.
  • Praias: no fim de semana, fica proibida a circulação de pessoas e a realização de atividades econômicas nas praias, orlas fluviais, parques aquáticos e similares, parques e praças esportivas ou similares, assim como a prática de quaisquer atividades esportivas coletivas amadoras, sendo permitidas as práticas individuais, desde que não gerem aglomerações.
  • Serviço público: a administração pública estadual não essencial poderá funcionar em regime de trabalho remoto. A medida também é recomendada para órgãos municipais.

    Com informações do G1/SE