O candidato derrotado Fábio Reis (MDB) deu sua primeira manifestação pública a respeito das eleições nesta quarta-feira (18) à rádio Juventude FM – até então, somente Sérgio havia comentado, através de um vídeo curto nos stories do Instagram. Em entrevista exclusiva, com o também ex-candidato Aloísio Andrade, o popular Prefeitinho, o deputado federal disse que sua derrota poderia “até ter sido um livramento”.

“Não vale a pena chorar pelo leite derramado.”

Ao ser questionado sobre a estratégia do MDB de substituir candidatos na última hora, como Jerônimo Neto pelo avô em 2016 e, agora novamente, entre Sérgio e ele, afirmou que “cada um usa as armas que tem para atrapalhar o opositor”. Logo em seguida, pontuou que soube da necessidade de troca “em menos de cinco minutos [para o término do prazo para registro de candidaturas]”, mas O Papa-Jaca revelou ainda em outubro que a decisão do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), do ministro Sérgio Kukina, que manteve Sérgio Reis inelegível foi de 14 de setembro – isto é, uma quinzena antes da substituição do irmão mais velho por Fábio.

Antes de encerrar o assunto sobre sua campanha, o caçula dos Reis reconheceu que “não vale a pena chorar pelo leite derramado”, sendo necessário reconhecer a vitória de sua rival, mas utilizou a prisão de Valmir Monteiro (PSC) para exemplificar sua ideia de que “muita coisa ainda vai acontecer nesses um, dois, três, quatro anos”. Fábio foi derrotado com uma diferença de 5 mil votos entre ele e a primeira colocada, Hilda Ribeiro (SD).

Confira um trecho da entrevista: