Foi a partir dos boletins de urna disponibilizados aos fiscais de cada partido, as coligações souberam dos resultados desta eleição. A grande questão é que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) passou por diversas e intensas dificuldades na divulgação dos números deste domingo (15), apesar disso não ter afetado a apuração – que seguiu seu curso normal.

Ocorre que as lideranças podem fazer seus próprios cálculos e, em virtude da queda no sistema do TSE, que é automatizado, os partidos conseguiram ter ciência primeiro quanto ao resultado final. Em torno das 19 horas, os candidatos Nininho da Bolo Bom (CD), Fábio Reis (MDB), Ibrain Monteiro (PSC) e Jorge Prata (PODE) reconheceram a derrotada nas redes sociais.

Diferença entre ela e o segundo colocado foi de 5,1 mil votos – um espaço de 8,84% dos votos válidos.

Sendo assim, Hilda Ribeiro (SD), pedagoga, dentista, mãe de dois filhos, esposa do deputado federal lagartense Gustinho Ribeiro (SD), foi declarada reeleita ao cargo de prefeita do município e se torna a primeira mulher eleita ao cargo. Ela será a 29ª pessoa a gestionar Lagarto por escolha popular e a 35ª administradora.

Segundo informações extraoficiais, este resultado teria dado a Hilda uma vitória com 24 mil votos, contra 22 mil de Fábio, Ibrain Monteiro 4 mil, Nininho 2 mil e Jorge Prata menos de 500. O resultado final, porém, foi ainda mais imprevisível: Ribeiro fez 28 mil (48,8%), Reis 22,9 mil (39,9%), Monteiro 4,6 mil (8%), Nininho 1,6 mil (2,9%) e Jorge Prata apenas 164 (0,3%).