Condenado à inelegibilidade em 2009, mas com sentença transitada em 2018, o então pré-candidato a prefeito Sérgio Reis (MDB) dependia de um efeito suspensivo para seguir com o projeto de eleição. A reanálise da liminar, porém, concedida em 2019, já estava na pauta do julgamento do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE) para a próxima sessão presencial.

O Ministério Público havia se manifestado pela inelegibilidade imediata e o relator do caso também já havia votado concordando com a acusação. Neste cenário, seguir com a candidatura seria um risco para toda chapa.

No entanto, o ex-deputado possuía outras condenações, como a rejeição de suas contas quando secretário estadual pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Num desses processos, o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) subiu o tema e condenou Sérgio. Quem assume a vaga do MDB Lagarto é seu irmão, Fábio.

Crime eleitoral

Ainda em agosto, o Ministério Público Federal (MPF) encaminhou uma representação à Promotoria Eleitoral da 12ª Zona sobre suposto crime eleitoral envolvendo compra de votos e campanha antecipada por meio de blogueiros e sites anônimos. Com a desistência do registro, a denúncia deverá ser arquivada.

Ver essa foto no Instagram

INELEGÍVEL🤵🏻 O pré-candidato a prefeito de Lagarto Sérgio Reis (MDB) anunciou a desistência da corrida eleitoral. Com uma decisão pela inelegibilidade proferida em julho, o ex-deputado corria o risco de ter sua candidatura, temporariamente ‘sub júdice’, impugnada pela Justiça. Sérgio teve uma sentença condenatória transitada em julgado em 2018 por improbidade administrativa e estava elegível apenas em virtude de uma liminar, mas cuja revisão já entrou na pauta da próxima sessão presencial do TJSE. Ocorre que o STJ, num outro processo no qual Sérgio também foi condenado, antecipou o cenário. Quem assume a vaga do MDB é seu irmão, o deputado federal Fábio Reis. #eleicoes2020!#politica #inelegibilidade #opj

Uma publicação compartilhada por O Papa-Jaca (@opapajaca) em