Em entrevista ao programa “Hora do Cabo” na última segunda-feira, na TV Eldorado, o pré-candidato a prefeito por Lagarto Jorge Prata (Podemos) falou sobre a situação do Hospital Nossa Senhora da Conceição. Em sua fala, o funcionário público direcionou duras críticas ao modelo de gestão da instituição que é comandada por membros da família Reis.

Enquanto comentava sobre suas ideias para a cidade de Lagarto, Prata demonstrou o seu interesse em contribuir para que Lagarto tenha uma unidade hospitalar que seja de responsabilidade do município, a fim de desafogar o Hospital Universitário de Lagarto; ex-diretor do IPES Saúde e do Hospital Monsenhor Daltro, ele não economizou nas palavras ao expor o seu pensamento sobre o HNSC.

“Aquilo ali me parece mais uma casa da moeda, então, nós vamos municipalizar o Hospital Nossa Senhora da Conceição”, disse.

Ficou evidente que, ao utilizar a expressão “casa da moeda” para se referir à unidade de saúde, Jorge Prata estava visando os diversos problemas que o Hospital têm enfrentado ao longo dos anos, como por exemplo, extensos períodos de paralisação, interdição, obras abandonadas, e vários indícios de má gestão de recursos financeiros.

Pré-candidato a prefeito faz críticas contundentes à gestão do hospital e apresenta uma saída para a unidade.
O HNSC é marcado por problemas de infraestrutura, morosidade nas obras, má gestão financeira, além de processos criminais que rodeiam a instituição filantrópica ao longo dos anos.

Já recaíram sobre a Associação de Caridade de Lagarto, atualmente Associação Hospitalar de Sergipe, mantenedora do HNSC, mais de 2 mil processos, alguns envolvendo o atual pré-candidato a prefeito por Lagarto Sérgio Reis (MDB) e a deputada estadual Goretti Reis. Em 2017, a unidade de saúde chegou a ser interditada por irregularidades, mesmo ano em que Sérgio Reis, gestor da associação à época, foi condenado por prática de improbidade no Hospital juntamente com Fernando Menezes (genro de sua tia Goretti), além da também ex-gestora da unidade Lívia Almeida.

Em outro processo, a promotoria chegou a pedir a prisão dos envolvidos após detectar superfaturamento, fraude em contratos de aluguel de geradores de energia e a negativa do envio de documentos solicitados.

Semelhantemente ao Matadouro, Hospital chegou a ser interditado por irregularidades em 2017. FOTO: Reprodução

Este ano, com déficit na estrutura e no quadro de funcionários, a unidade de saúde teve que precisar da ajuda do Governo do Estado para poder atuar durante a pandemia. Depois, a Controladoria-Geral da União (CGU), produziu um relatório sobre 40 aparelhos que encontravam-se sem uso por 4 anos, em razão das obras inconclusivas às quais a Secretaria Federal verificou irrazoabilidade na demora e inadequações na aplicação dos recursos federais.

Durante a sua participação no programa, Jorge Prata também disse ser favorável a emancipação do povoado Colônia Treze.

Com todos esses pontos negativos relacionados ao Hospital Nossa Senhora da Conceição, não é de se surpreender que o pré-candidato do Podemos em Lagarto deseje a municipalização da instituição. Outra tarefa fácil é entender que Jorge Prata ao utilizar as frases de efeito relacionadas ao Hospital quis sugerir um movimento de libertar o HNSC das garras dos gaviões.

Reveja matérias sobre os desmandos ligados ao Hospital Nossa Senhora da Conceição publicadas pelo O Papa-Jaca: