O atacante sergipano Diego Costa, que é naturalizado espanhol, foi condenado a seis meses de prisão e a pagar multa de 543 mil euros por fraude fiscal. O atleta teria sonegado mais de 1 milhão de euros na declaração do imposto de renda de 2014, no período em que se transferiu do Atlético de Madrid para o Chelsea. Naquela ocasião, segundo os promotores espanhóis, o atleta cometeu fraude através de empresas internacionais e na gestão de seus direitos de imagem. As informações foram publicadas pelo Marca.

Durante audiência realizada nesta quinta-feira (4), em Madri, Diego Costa se declarou culpado e entrou em acordo com as autoridades para substituir a pena de seis meses de prisão por multa adicional de 36 mil euros – cerca de R$204 mil. No ano passado, ele pagou 1,14 milhão de euros – R$5,9 milhões- para quitar dívidas tributárias. Isto é, o custo para se livrar da cadeia foi de mais de R$6 milhões, mas ainda outros 543 mil euros – R$3,2 milhões – a serem pagos pelo atleta.

Diego Costa retornou ao Atlético de Madrid em 2017. Ainda de acordo com a publicação do Marca, o clube adiantou pagamento do atleta para que pudesse se acertar com a Fazenda Espanhola. O caso do jogador sergipano é mais um envolvendo jogadores famosos condenados por fraude fiscal na Espanha. A lista tem Messi, Cristiano Ronaldo, Di Maria, Modric, Marcelo, Falcao, Mascherano e o treinador português José Mourinho.

Com informações de Globo Esporte