O Papa-Jaca tem mantido conversas com profissionais da Saúde e técnicos, do Hospital Universitário de Lagarto (HUL) e do Governo do Estado, com a finalidade de entender qual risco o município corre de ver suas unidades hospitalares colapsarem em virtude do avanço do novo coronavírus.

“(…) levou 18 dias após o falecimento para receber o diagnóstico final.”

Pela primeira, que se tomou conhecimento, o HUL chegou a 90% de ocupação dos leitos disponíveis de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), cujos pacientes dependem de respiradores mecânicos. A informação é do departamento de Rede Hospitalar, da Secretaria de Estado da Saúde (SES), consultada pela nossa equipe. Fontes indicam, porém, que o HUL chegou a lotar – isto é, 100% – nos últimos dias.

Investigado pela CGU por possuir equipamentos estocados para urgência e emergência há quatro anos, o Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC) não estava atendendo na modalidade. Para atuar neste caso, o Governo do Estado precisou enviar mais recursos à unidade privada, que é conveniada ao SES. Somente na última semana as UTIs do HNSC passaram a funcionar e, assim, auxiliar o Universitário na região centro-sul.

No entanto, o avanço acelerado do SARS-Cov2 no estado já ocupou 30% das 10 UTIs do Conceição. Ao todo, em Lagarto, já são 12 sergipanos de outros municípios internados em estado grave – o maior número desde início da pandemia. No cálculo de confirmados, nenhum lagartense encontra-se numa urgência. Porém, existem casos suspeitos sob internação.

Vale ressaltar que todos os últimos óbitos no município só se confirmou a presença do vírus no paciente dias depois. O Papa-Jaca apurou que a família da última vítima, de uma criança de 2 anos e que esteve internada num hospital privado da capital, levou 18 dias após o falecimento para receber o diagnóstico final. Prazo para o Hospital de Campanha ficar pronto encerra dia 15 de junho.