Após 15 dias iniciando e adiando reuniões virtuais sem concluir a tão discutida pauta da candidatura própria, o Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores (PT), em Lagarto, finalmente fechou questão sobre o tema. Além de romper com a oligarquia da família Monteiro, a chapa anunciada foi a conhecida ‘puro sangue’ – em que ambos os componentes são do mesmo partido.

“Não merece ser candidata.”

No entanto, a maior sinalização de rompimento com o grupo do ex-prefeito Valmir foi o veto à candidatura de Andresa Nascimento, esposa de Monteiro. Ela foi acusada de ser apoiada por membros da Estadual a se filiar ao PT com intuito de forçar um novo casamento da legenda com a família. No entanto, o diretório municipal (DM) – responsável pela decisão conforme resolução do CEN de março de 2020 – vetou Andresa de disputar qualquer cargo. “Ela mostrou que entrou com intuito de se aproveitar da sigla, utilizando caminhos desconhecidos; não merece ser candidata”, disse um membro do diretório.

A partir da decisão desta segunda e com a janela partidária encerrada, o agrupamento do ex-prefeito terá agora um candidato a menos, pois Andresa já não pode mudar para um partido que a permita concorrer. Com pré-candidatura lançada sem visibilidade neste domingo (24), o nome dos Monteiros deverá ser o deputado estadual Ibrain – ele substitui o pai, condenado no STF à inelegibilidade e proibido de sair de casa à noite em investigação criminal.

Já o PT, definiu a pré-campanha do líder regional do Movimento Sem Terra (MST), Flamarion Déda, e do diretor do SINTESE, prof.º Msc. Benizário Júnior, respectivamente, ao cargo de prefeito e vice-prefeito. Ambos estiveram juntos, disputando a presidência do DM, no processo interno em meados de 2019. Nas próximas reuniões, serão discutidos os nomes à chapa proporcional e as pautas da campanha.

Ver essa foto no Instagram

Em ação de indenização por danos morais, calculada em R$20 mil, a juíza Camila Ferreira atendeu à tutela de urgência da defesa de @dannielprata e determinou o prazo de cinco dias para que Júnior Papito, dono do Xexo Sergipano, apague fake news em que acusa o editor-chefe do @opapajaca de uso, vício e contribuição ao tráfico de drogas – o que, além de tudo, inclui infinitos tóxicos. A fake news, que usa como base uma foto em que Danniel satiriza um ‘baseado’ e que foi postada por ele próprio com a intenção de demonstrar sua opinião pró-legalização da maconha, foi compartilhada depois que Prata publicou uma reportagem em que mostrou que o dono do Xexo compõe junto a outras 30 pessoas o gabinete milionário do deputado estadual e pré-candidato a prefeito Ibrain Monteiro (PSC). Desde 2019 ele recebia R$2 mil mensais da Assembleia Legislativa, mas, após reportagem, ele foi exonerado em março. #fakenews #justiça #maconha #legalize #opj

Uma publicação compartilhada por O Papa-Jaca (@opapajaca) em