A maior inspiração na minha vida é a minha mãe. Cristiane Prata Ribeiro foi quem me ensinou os valores da luta e da persistência. É graças às incontáveis vezes que a vi resistir que hoje tenho forças para suportar as perseguições contra mim feitas pela máquina política da cidade. No entanto, atacar a minha mãe, depois de tudo o que ela já viveu, é de uma covardia sem tamanho.

Desde que me entendo por gente, Cristiane sempre me carregou no colo. Para cima e para baixo, comecei a estudar cedo quando ela – ainda desempregada – me levava para as aulas de banca, já que não tinha dinheiro para bancar ninguém para me cuidar. Nessa história ainda caberia lugar à minha vó, figura de extrema importância da minha vida, mas ela não é o assunto de hoje.

“Na verdade, o rendimento líquido cotidiano da educadora é de R$3,5 mil.”

Abandonada por seu pai e pelo meu pai – este segundo, pelo menos, tenho o direito de chamar de irresponsável -, ela foi mulher para peitar o mundo e me criar ao mesmo tempo em que fazia faculdade. Anos se passaram e após ser aprovada no concurso público municipal de 2011, ela foi exonerada pelo ex-prefeito Lila Fraga (PSDB), junto a outros servidores aprovados, simplesmente porque a cúpula saramandaia não gostaria de perder direito de fazer suas indicações políticas espúrias. Lá vai mais uma luta pra Cristiane, mas que ela venceu.

Contracheque do valor a que se refere o boato; valor líquido: R$3.336,99, IMG: Reprodução

Devidamente realocada ao seu cargo de direito, Prata está há quase 8 anos educando e, mais tarde, dirigindo unidades do povoado Oiteiros e do Atalho. Nesse espaço, chegou a ser premiada em 1º lugar numa olimpíada ambiental por seu projeto, junto a outras professores, de reflorestamento às margens do Rio Piauitinga. Além disso, anualmente realiza projetos envolvendo a comunidade carente e a escola; tudo isso, sem nunca ter se colocado para disputar algo politicamente. Foi sua competência que a fez ser diretora.

Com intuito de me atingir, porém, aliados do ex-prefeito Valmir Monteiro e do pré-candidato Sérgio Reis decidiram espalhar uma fake news em que acusam Cristiane de ter tido um “aumento repentino de salário” através de Hilda. Segundo eles, as denúncias do O Papa-Jaca são uma artimanha da prefeita para impedir que estes grupos retornem à Administração. “Aumento esse de 200%”, afirmam os mentirosos.

Por ser professora e diretora, ela tem direito a algo em torno de R$4 mil em rendimentos. Somado a isso, temos ainda uma porcentagem referente ao difícil acesso da região e um auxílio financeiro à gasolina – já que o povoado fica a 23km da sede municipal. Num mês em que se junta gratificações, férias e reajuste, o rendimento bruto pode aumentar ainda mais; e chegar a R$6,7 mil, como em janeiro de 2019 – quando Valmir ainda não havia sido preso numa investigação do GAECO e estava a frente da Prefeitura. Informações estão disponíveis no Portal da Transparência.

Em outras palavras, não houve aumento nenhum. Na verdade, o rendimento líquido cotidiano da educadora é de R$3,5 mil e se formos comparar o acumulado máximo entre os dois últimos anos, na gestão Hilda, Prata sofreu com uma diminuição em torno de 10% – resultando nos R$6 mil do boato coronelista. É importante ressaltar que essa fake news surgiu através de uma gravação feita pela blogueira lagartense Yasmine Dória que, ao invés de responder sobre um ataque à imprensa, afirmou que minha mãe seria contratada. Devidamente respondida pela mentira, o falso fato ganhou novas conotações.

É lamentável que, para me atingir, ataquem uma mulher íntegra e de respeito, que atravessa mares por suas crianças e que nunca dependeu de político para pôr comida na mesa. Não critico aqueles que o fazem pois reconheço o desespero da pobreza, como eterno morador do Loiola II. Todavia, que fique aí a prova de que os corruptos de Lagarto tem uma única preocupação: manter-se no Poder.

Assista: