O ex-prefeito de Lagarto Valmir Monteiro (PSC) participou recentemente de uma entrevista em que citou alguns de seus supostos feitos enquanto gestor da cidade. Durante a pandemia, as participações de Valmir em programas ao vivo foram facilitados, já que as conversas via ligação ou lives se tornaram comuns e Monteiro é proibido judicialmente de estar fora de casa após às 19 horas.

“Foi convidado na época somente por estar prefeito naquele momento.”

Na última dessas participações um trecho acabou repercutindo. Valmir afirmou que a obra da sede do Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Sergipe (SINTESE), em Lagarto, teria sido uma iniciativa sua. “Quando eu conheci o SINTESE nas outras gestões, moravam em casa alugada. (…) Olhe depois que nós chegamos à Prefeitura onde é que o SINTESE hoje se instalou, as instalações, a média que o SINTESEE teve. (…) Fui eu que fiz, fui que criei isso dentro da classe e não só isso”, declarou Monteiro.

Nazon Barbosa durante ato da categoria. FOTO: Reprodução

A primeira dura resposta do sindicato veio de um dos diretores do sindicato e também secretário-geral do Partido dos Trabalhadores (PT) na cidade, o prof.º Ms. Benizário Júnior. Em fala à Eldorado FM, Benizário chegou a especular a possibilidade de um processo judicial a fim de que o ex-prefeito se retratasse. “O SINTESE existe há quase 42 anos e sempre viveu de contribuição voluntária dos professores. As contas são abertas para qualquer um ver. Valmir tem que pensar antes de falar”, falou.

No entanto, a mais dura crítica veio do próprio coordenador, o professor Nazon Barbosa. Num grupo de WhatsApp, após compartilhamento do posicionamento do colega, Nazon escreveu:

“Política, além de cassado, mentiroso. O SINTESE não aceitaria um centavo de qualquer politico de plantão. A receita que conduz a luta do SINTESE no estado é a contribuição voluntária dos professores do estado de Sergipe das redes estadual e municipais. Portanto, esse indivíduo é mentiroso. Foi convidado na época somente por está prefeito naquele momento. Mude sua postura e seja um cidadão de respeito.”