Com o crescimento diário de 15% no número de casos confirmados e a atual taxa de ocupação de vagas de UTI, Sergipe terá 100% dos leitos de terapia intensiva para pacientes com covid-19 ocupados em um prazo de oito dias. É o que prevê o estudo publicado nesta quinta-feira, 7, pelo professor do Departamento de Educação em Saúde e chefe do Laboratório de Patologia Investigativa da UFS, Paulo Ricardo Martins Filho.

Atualmente, o estado tem 85 leitos de UTI exclusivamente para atender casos da doença, sendo 46 na rede pública e 39 em hospitas privados. 10 desses leitos estão em Lagarto, mas, segundo o superintendente do HUL Manoel Cerqueira, em conversa com O Papa-Jaca, pacientes estão chegando de todo o estado. Na última terça-feira (5) uma lagartense veio a óbito após ocupar um desses leitos. O Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), na cidade, precisou de intervenção do governo estadual pra conseguir atuar na pandemia, porém, só deverá ficar pronto no início de junho – assim como o hospital de campanha projetado pela EBSERH.

Ocorre que, 30 pacientes em tratamento intensivo, a taxa de ocupação dessas vagas é de 35,5%. Os dados são do boletim epidemiológico divulgado nesta quarta-feira pela secretaria estadual da Saúde. “A projeção neste cenário é que Sergipe tenha a partir da metade do mês de maio entre 3 mil e 4 mil casos confirmados do novo coronavírus, pelo menos 70 novos casos com necessidade de internamento em unidade de terapia intensiva cerca de 10 dias após o ápice da curva, e saturação precoce dos leitos disponíveis,” aponta Paulo Martins.

Confira aqui o estudo na íntegra

O estudo sugere a ampliação dos leitos nas próximas duas semanas, com aumento gradual até o final do mês, e recomenda a decretação imediata de quarentena, pelo menos, por 15 dias, com a restrição obrigatória do trânsito de pessoas sadias e a manutenção de serviços essenciais, como supermercados, padarias e farmácias.

Paulo também reforça a necessidade de ações conjuntas no planejamento técnico e adequado para o enfrentamento à pandemia do novo coronavírus. “A boa notícia é que os resultados desse documento já estão de posse da secretaria de estado da Saúde. E também já é de conhecimento de alguns hospitais da rede privada. Isso pode ser um importante guia para planejamento estratégico em termos de leitos de UTI durante este mês de maio, evitando – se o colapso precoce do sistema de saúde no estado,” afirma.

Quem é o autor?

Paulo Martins tem experiência em epidemiologia, estatística e revisões sistemáticas e meta-análises em saúde e reúne mais de 100 publicações em revistas científicas internacionais. Professor do Departamento de Educação em Saúde do campus da UFS, em Lagarto, e chefe do Laboratório de Patologia Investigativa do Hospital Universitário, em Aracaju. Professor do Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde, Núcleo de Pós-graduação em Medicina, e do Programa de Pós-graduação em Odontologia.