Desde sua fundação, em janeiro de 2019, O Papa-Jaca se vê vítima de ataques sistemáticos por parte de aliados e até assessores de políticos ligados às famílias Reis e Monteiro. O alvo das fake news e processos impetrados na Justiça é justamente o editor-chefe do site, o estudante de Direito e midiativista Danniel Prata.

“O PT Lagarto não poderia se calar diante das pretensões coronelistas observadas.”

Em um vídeo publicado em sua conta oficial no Instagram, através da ferramenta IGTV, o jovem explica a mais recente das mentiras, em que afirmam que ele é “um viciado em drogas”. Um material editado – com direito a fundo musical, foto tirada do contexto e imagens tiradas do Google – chegou a ser editado para sustentar a ideia perante a opinião pública.

Veiculação em grupos de WhatsApp ocorreu após duas reportagens mais recentes, em que Prata expõe o gabinete milionário do deputado estadual Ibrain Monteiro (PSC) – com 34 aliados e gasto anual de R$2 milhões, apenas para citar os salários – e outra em que ele mostra que um lagartense investigado, recentemente preso acusado de sonegar R$10 milhões, já havia sido condenado por improbidade administrativa junto ao pré-candidato a prefeito Sérgio Reis (MDB).

Neste cenário pré-eleitoral, onde políticos tentam se sobressair às críticas, organizações da sociedade civil papa-Java emitiram notas em defesa do estudante e midiativista. Três sindicatos, o Grêmio Estudantil do IFS Lagarto, o MBL e o PDT já haviam se posicionado contra a perseguição através de notas aprovadas internamente. Agora, na noite desta quarta-feira (15), o Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores (PT) votou e aprovou um texto fazendo a mesma defesa. “O PT Lagarto não poderia se calar diante das pretensões coronelistas observadas”, diz.

Leia a nota na íntegra:

Assista o depoimento: