Na madrugada desta quarta-feira (1º) o juiz da 2ª Vara de Lagarto, Edinaldo César Júnior, determinou que a prefeita Hilda Ribeiro (SD) suspendesse todos os pregões a serem realizados em Lagarto. A liminar veio a partir de uma Ação Civil Pública aberta pelo Ministério Público, sob o argumento justíssimo de que seria inviável realizar eventos licitatórios diante da covid-19.

“Velha Lagarto, velhos costumes.”

Não por conta da pandemia, mas questionando o valor da licitação dos transportes – R$6,8 milhões, a oposição fez campanha pela interrupção do pregão. Ocorre que, com a decisão desta quarta, o grupo se considerou vitorioso – ainda que o tema da interrupção do processo licitatório tenha sido outro. Além de divulgar a decisão liminar sem destacar o tema do coronavírus, uma rajada de fogos foi ouvida nas adjacências do centro da cidade.

Nas redes sociais, muitos lagartenses se posicionaram em relação ao comportamento da oposição. Hilda errou por convocar uma reunião no meio da pandemia, mas qual o intuito da comemoração? Entre as personalidades que se posicionaram esteve o historiador e professor doutor pela Universidade Federal de Sergipe (UFS) Claudefranklin Monteiro.

Segundo ele, em postagem em sua conta oficial no Instagram, “soltar fogos para comemorar suspensão de licitação é, no mínimo, contraproducente”. E continua: “Velha Lagarto, velhos costumes, e ‘novos velhos’ caciques políticos políticos, tripudiando sobre a desgraça alheia, enquanto o povo passa fome”.

Comentário do professor lagartense. PRINT: Reprodução/Instagram