No início da tarde desta quinta-feira (5), o vereador Eduardo de João Maratá (PRB), que é presidente da Câmara Municipal de Lagarto, foi encaminhado à delegacia após desobedecer a ordem de um policial para que deixasse um local determinado do fórum da cidade; ele foi acusado de tentar coagir vítimas de um processo criminal, cuja audiência ele participou enquanto testemunha.

Segundo informações, o PM teria dado uma ordem para que o político deixasse o local reiteradas vezes. Este, porém, alegou não ter ouvido a primeira ordem do policial por estar ocupado, escutando um áudio em seu aplicativo de mensagens pessoal.

Ao deixar a audiência, ele foi escoltado por uma guarnição até a delegacia, onde categorizou a ação como abuso de autoridade. Dois advogados acompanharam Eduardo. Um processo foi aberto para apurar o fato. O Papa-Jaca segue acompanhando o caso.