Com as ligas esportivas e organizações em todo o mundo fechando estádios e eventos em uma tentativa de impedir a disseminação do coronavírus – que já mata milhares de pessoas, sobretudo mais pobres – alguns atletas parecem não estar conseguindo entender a gravidade da pandemia global. Infelizmente, entre o seleto leque de decepções está o lagartense Diego Costa.

“Obviamente, a atitude de Diego foi infeliz e o clube condena sua ação.”

O Atlético de Madrid – time do atleta brasileiro – condenou o atacante por tossir em repórteres após a vitória sobre o Liverpool, na Champions League. Em um vídeo que circula nas mídias sociais, Costa pode ser visto rindo e apontando a tosse sarcástica na direção de repórteres reunidos na zona mista de Anfield.

A brincadeira provocou uma reação mista, mas muitos criticaram o atacante espanhol, incluindo a equipe espanhola. “Obviamente, a atitude de Diego foi infeliz e o clube condena sua ação”, disse o Atlético à CNN em comunicado. “É uma pena que algumas pessoas achem difícil entender o significado dessa crise. O jogador se arrependeu e pediu desculpas quando percebeu seu erro”.

Apesar da vitória, o motivo da irritação de Diego foi ter sido substituído. Ele jogou até os 10 minutos do segundo tempo. Após ser trocado pelo colega Llorente, ele não ficou satisfeito. O sergipano chutou uma garrafa à beira do campo, disse alguns palavrões e socou o banco de reservas.

Diversos meios de comunicação internacionais viram negativamente a atitude do jogador papa-jaca. Diego Costa foi criticado no famoso programa de televisão espanhol El Chiringuito de Jugones. Todos os jornalistas fizeram silêncio pela ação do atleta e classificaram a cena como “lamentável”.

Não é a primeira vez

O Comitê de Competição da Liga Espanhola, há um ano, suspendeu por oito rodadas o atacante Diego Costa por causa dos seus empurrões e insultos contra o árbitro Gil Manzano num jogo contra o Barcelona. A sanção, de quatro jogos pelos insultos e outros quatro por agarrar o juiz, terminou com a temporada do atacante brasileiro, pois faltavam apenas sete rodadas para o final do Campeonato Espanhol. O Comitê tinha pedido na ao árbitro que esclarecesse o relato da súmula antes de se pronunciar sobre a sanção a Diego Costa.

O caráter vulcânico do atacante explodiu depois que o árbitro fez vista grossa a uma entrada por trás de Piqué contra ele. Irritado, segundo Manzano, proferiu um violento impropério mencionado na ata: “No minuto 28, o jogador (19) Da Silva Costa, Diego, foi expulso pelo seguinte motivo: Dirigir-se a mim em voz alta, nos seguintes termos: “‘¡Me cago en tu puta madre! ¡Me cago en tu puta madre!’” – traduzindo: eu cago na p*rra da sua mãe. O Atlético alegava que a súmula redigida por Gil Manzano não refletia com exatidão o que aconteceu no gramado.

Assista: