Como noticiado com exclusividade pelo O Papa-Jaca, a UFS Lagarto divulgou nesta terça-feira (3) o resultado de seu primeiro vestibular próprio – não havia data exata no edital para divulgação da classificação. O mecanismo inédito prioriza estudantes regionais e da rede pública de ensino médio. Dentre os aprovados, um dos destaques foram os irmãos gêmeos André de Góis Santana e Andrei de Góis Santana.

“Os professores contribuíram com inspiração, tanto nos conteúdos quanto no lado pessoal.”

Do povoado Brejo e aos 21 anos de idade, eles passaram juntos no curso de Medicina, em 7º e 8º lugar, respectivamente, mas em grupos diferentes. A trajetória deles começou em 2018, quando o jovem André começou a cursar Psicologia na UFS. Eles já haviam estudo juntos quando cursaram o Médio integrado ao tecnólogo em Redes de Computadores, pelo Instituto Federal de Sergipe (IFS). Um ano após a conclusão, em 2018, eles e a família passaram por algumas dificuldades pessoais: a mãe fora diagnosticada com um câncer.

O irmão Andrei ficou em casa cuidando da mãe, enquanto André seguiu estudando. “Por conta da doença da minha mãe, comecei a ver a importância de se ter um médico na família para dar suporte à saúde dela”, disse André ao setor de imprensa da SEDUC. Ele conta também que a mãe seguiu rigorosamente todas as determinações do oncologista, o que despertou nele a vontade de ser médico. “Foi aí que meus olhos se abriram para a Medicina”, declarou.

Os dois cursaram o ensino fundamental em uma escola municipal no povoado Brejo, onde moram. Em 2019, estudaram também no curso Pré-Universitário, do Governo do Estado. Para André, o curso foi fundamental para o sucesso. “O Preuni ajudou bastante em nossa formação, fez toda a diferença. Os professores contribuíram com inspiração, tanto nos conteúdos quanto no lado pessoal. Então nós tivemos bastante compromisso com todo o esforço deles em colaborar com a gente”, afirmou.

O seu irmão, Andrei, não poupou elogios à preparação que ambos tiveram no Pré-Universitário. “Tivemos uma boa base no ensino médio, mas o Preuni nos serviu mais como fonte de revisão e estratégia para passar no Enem. Os professores passam os assuntos que mais caem nas provas e os alunos que estudam no Pré-Universitário saem de lá com excelentes notas”, declarou ele, que ainda está pensando qual especialidade da Medicina pretende seguir ao se formar.