O que mais choca, aqui, é o fato de o assunto ser a morte de uma jovem por irresponsabilidade do poder público em cumprir seu papel – neste caso, num assunto cujo debate se estende há anos: animais de grande porte invadindo o trânsito e causando acidentes. Não é a primeira situação envolvendo um estudante.

“Perda lastimável.”

O Papa-Jaca seguia Jéssica Almeida no Instagram. Em duas de suas publicações mais recentes ela falava sobre o amor pela profissão e, de forma irreverente, sobre a ansiedade com a formatura. “Só quero que cada palpitação apresentada por mim seja de felicidade e eu tenha equilíbrio hidroeletrolítico (…), que cada sístole ejete muito amor e meus alvéolos inspirem bons ares”, escreve a estudante que já se especializava não área da cirurgia.

Numa foto de novembro último, Jéssica aparece acompanhada de colegas de curso e professores numa mesa cirúrgica do Hospital de Urgências de Sergipe (HUSE). “Resumo do módulo. Fantástico!”, descreveu.

Segundo informações das autoridades, a ainda aluna cruzava o trecho do povoado Boeiro – entre Lagarto e Simão Dias – da rodovia SE-270 com sua motocicleta na noite deste sábado (29) no momento da colisão. Desde o início da manhã uma grande comoção tomou conta das redes sociais da cidade e em poucas horas o assunto chegou a repercutir em todo estado. O animal também não resistiu.

Por meio de nota em sua conta oficial no instagram, a Atlética Silibrina categorizou o episódio como uma “perda lastimável” e se solidarizou com familiares e os colegas de Almeida. Outro grupo a externar o luto foi a Entre Home Church, célula da Igreja Adventista do Sétimo Dia (IASD) da qual Jéssica era fiel.

Na publicação da igreja, além dos votos de pesar, foi feito também o anúncio do velório e do sepultamento. O primeiro já se iniciou e ocorre na IASD do povoado Brasília; o segundo está marcado às 7h, no cemitério Nossa Senhora da Piedade.

Ver essa foto no Instagram

INSUBSTITUÍVEL | Essa é Jéssica Almeida, numa mesa de cirurgia do Hospital de Urgências de Sergipe (HUSE). A jovem estudante de medicina, na UFS Lagarto, era seguidora do @opapajaca – e nós dela. Em seu perfil privado, ela não tratava de esconder qualquer sentimento ligado à proximidade de sua formatura. “Que cada sístole ejete muito amor e meus alvéolos inspirem bons ares”, escreveu irreverentemente em uma de suas publicações sobre a cerimônia. Dói saber que a vítima deste acidente, além do cavalo, é uma estudante cheia de sonhos. No entanto, dói ainda mais saber que se tratava de alguém apaixonada pela tarefa de salvar outras vidas. O poder público, ao deixar de planejar alguma política pública – que já deveria ter sido executada a contar pelo tempo que o debate se estende -, não apenas perdeu uma vida, mas deixou de salvar tantas outras. Quantas pessoas deixarão de viver pela ausência de Jéssica? Talvez se nortearmos o assunto desta forma, haja o mínimo de sensibilidade por parte dos governantes. Informações das autoridades e quanto ao velório/funeral, você pode encontrar acessando o site. #Luto #Medicina #UFS #Lagarto #Acidente #OPJ

Uma publicação compartilhada por O Papa-Jaca (@opapajaca) em