A figura histórica do lagartense Cabo Zé voltou ao debate público, sobretudo entre os mais velhos, nos últimos meses. O ex-prefeito da cidade e também radialista finalmente iniciou sua pré-campanha à Câmara de Vereadores – por anos adiada em virtude de pendências dele com a Justiça.

Com os direitos políticos recuperados (foto), Cabo voltou a dar as caras em eventos públicos. O primeiro deles, com a vinda do senador Alessandro Vieira (CIDADANIA) a Lagarto, rendeu um texto de opinião no O Papa-Jaca. José Raymundo Ribeiro – seu nome correto – não gostou e utilizou os microfones da rádio como palanque para desmerecer o responsável pela crítica ao invés de refutar o que foi dito. O Papa-Jac publicou, então, um segundo texto com o título: “Cabo Zé é verborrágico demais para ser levado a sério”. Vale a leitura.

Agora, meses depois, o político intensificou suas aparições nas redes e tal fato chegou aos ouvidos da promotoria da 12ª Zona Eleitoral, vinculado ao Ministério Público Federal (MPF). Suspeitando de propaganda eleitoral antecipada, o promotor Antônio Carlos decidiu abrir um procedimento preparatório de inquérito civil para apurar a questão. É o primeiro procedimento aberto na zona este ano e foi feito a partir da portaria 01/2020, na quarta-feira (12).