Não me recordo de nada na história do mundo em que aqueles que estavam no poder deram de bom grado aquilo que é essencial aos verdadeiros atores da sociedade – os mais pobres. Estudantes, acordem para o fato de que vocês não são classe trabalhadora, ainda, mas são filhos desta classe.

“É um princípio da Constituição de 1988.”

Aos que estão lá em cima, não existe interesse nenhum na ascensão social de vocês. Por isso, é natural que prefeituras, governos do estado e presidências da República com pensamentos específicos simplesmente ignorem as dificuldades que passam a juventude. Porém, não existe forma de melhorar a vida de todos que não por meio do debate político.

O assunto aqui não é a política partidária, mas aquela mais ampla, em que reconheçamos nossos direitos diante do fato de sermos – como disse no início – os motores da economia. Hoje são nossos pais, amanhã seremos nós. Os senhores do poder tem o dever de garantir nossa educação, por exemplo. Todavia, não só, devem garantir nosso acesso a tal também – é um princípio da Constituição de 1988.

Protesto estudantil pela merenda e contra o descaso no ensino integral. FOTO: Danniel Prata/O Papa-Jaca

“Não adianta marcar a prefeitura em página de memes.”

É aqui onde está a grande questão. Em todas as gestões municipais que Lagarto já teve, o transporte dos alunos é um debate suado e sofrido. Enquanto isso, desde a minha época de secundarista, seguimos sendo tratados muito mais como sardinhas apertadas numa lata do que como alunos e alunas. Somente as várias lutas na rua fizeram-nos reconquistar o pouco.

Reconquistar? Sim, pois antes de termos um ônibus superlotado, não tínhamos nada. Só depois também da luta foi que nossos antepassados conseguiram o direito de garantir sua chegada à escola e de volta para casa.

Acordem: Não adianta marcar a prefeitura em página de memes. É preciso a coragem de enfrentar e entender que se outros municípios garantem transporte aos estudantes, Lagarto também deve garantir – e são eles que não podem abrir a boca para questionar. Se o IFS sofre, se o CEPARD sofre, se o Silvio Romero sofre: Unam-se, pelo amor de Deus e de Ogum, e deixem de preguiça. A lei e o povo estão do lado de vocês.