Quem já foi ao Hospital Universitário de Lagarto (HUL) com certeza conhece o protocolo de Manchester – instrumento pelo qual o paciente que chega ao HUL recebe um atendimento inicial para identificar, através de uma cor, o nível de gravidade e seu respectivo tempo de espera recomendado para o atendimento. No entanto, pacientes de baixa complexidade, geralmente identificados pela cor verde, acabam por esperar um longo tempo a fim de serem atendidos, já que a prioridades são aqueles identificados com os graus mais complexos de urgência. Em alguns casos, essa espera pode ultrapassar as 4 horas estipuladas pelo próprio hospital.

Superintendente do Hospital Universitário de Lagarto, Manoel Cerqueira está há menos de um mês no cargo. FOTO: Reprodução/PML

O chamado Fast Track – ou via rápida – funcionaria como uma ferramenta adicional ao protocolo. A ideia é encurtar o tempo de espera dos pacientes de baixa complexidade fornecendo um atendimento específico e com novos funcionários. “Antes, a espera média era de três horas e meia. Agora, caiu para aproximadamente duas horas e 16 minutos – uma redução de 36%”, diz o jornal O Tempo sobre o modelo implantado por uma UPA de Belo Horizonte (MG), em janeiro de 2018.

Para o superintendente do HUL, o professor doutor Manoel Cerqueira, “a atenção à saúde não é composta pelo hospital, na verdade, ela é parte de uma rede composta pelo hospital e pela atenção especializada, as consultas de especialistas e também atenção básica, que é a porta de entrada”. Na sua avaliação, a colaboração Município-Universidade, de fato, deverá “estabelecer um atendimento mais rápido, ágil”.

Também presente na solenidade, que ocorreu no auditório do Campus Lagarto da UFS, a prefeita Hilda Ribeiro (SD) disse acreditar que “traremos ainda mais saúde para Lagarto e nossa população, onde teremos um número maior de consultas, médicos especialistas e exames variados”. Compuseram a mesa a pró-reitora de Extensão e Assuntos Comunitários, professora doutora Alaíde Hermínia, representando o reitor da Universidade; o gerente de Atenção à Saúde do HUL, doutor Érico de Pinho Menezes e a diretora do Campus Lagarto da UFS, professora doutora Adriana Andrade.