Na tarde desta segunda-feira (9), o empresário paulista Henrique Prata – neto do histórico médico e romancista lagartense Ranulfo e sua esposa, Ana Hora – se encontrou com a prefeita de Lagarto, Hilda Ribeiro (SD). O assunto? Tratar da obra do Hospital de Amor, anunciada ainda em outubro após confirmação por parte dos deputados de apresentarem, conjuntamente, uma emenda de R$30 milhões para construção do prédio e compra dos materiais.

“Será referência na América Latina.”

O terreno – como ficou decidido – de 35 mil m² será doado pela Administração e comportará um empreendimento ainda maior que a do Hospital de Urgências de Sergipe – HUSE. A ideia inicial era de que a obra fosse feita em Aracaju, mas “encontrou sérias dificuldades financeiras”, disse Henrique. O local final foi Lagarto. Já o local do terreno, assim como toda a construção, deverá ser de responsabilidade do próprio Hospital – cujo nome já foi simplesmente Hospital do Câncer de Barretos, sendo alterado após sua expansão.

Os detalhes foram repassados à imprensa através de uma coletiva realizada após o encontro. “Vamos implantar uma Medicina honesta. Vamos apresentar uma proposta diferente de tudo que foi visto no País. Um hospital que será referência na América Latina. Vamos tratar com amor e não podemos ser desonestos com Deus. O que você faz com amor, você colhe com amor”, afirmou Henrique.

Ainda segundo ele, “Lagarto será o centro de tratamento de câncer em todo o Nordeste. E este projeto vai nascer forte. O projeto que será desenvolvido em Lagarto está num patamar diferenciado. Será um investimento de cerca de R$ 150 milhões. Além disso, temos a expectativa de que circule na Economia de Lagarto cerca de R$ 10 milhões mensais após a unidade ser inaugurada”. Num calculo rápido, serão R$ 120 milhões anuais.