Em meio a sessão da Câmara de Vereadores na manhã desta quinta-feira (5), uma discussão acabou por elevar os ânimos dos presentes. Já não bastando a tensão de final de ano em véspera de eleições municipais, uma rachadura  institucional já havia tratado de agravar o cenário da politica ao longo de 2019.

“As autoridades precisam investigar o caso.”

Ocorre que tal rachadura, ocasionada a partir do segundo afastamento de Valmir Monteiro (PSC), em fevereiro – quando foi preso no âmbito da Operação Leak -, encontrou um novo clímax durante esta semana. É que a notificação judicial de cassação defintiva do mandato de Monteiro, em processo de improbidade administrativa aberto em 2012, chegou à Câmara – obrigando os parlamentares a convocarem Hilda Ribeiro (SD) à posse.

O cumprimento do ato de ofício, no entanto, demorou 13 dias. Primeiro, a Câmara havia informado ao Portal Lagartense que documento da justiça não teria valor objetivo. Vereadores negaram a informação. Depois, o ato de convocação seguiu sem ser feito, e a Procuradoria-Geral do Município (PGM) intimou o presidente, Eduardo de João Maratá (PR), a chamar à posse em no máximo 24 horas; Eduardo foi quem concedeu, monocraticamente, a licença a Valmir após sua prisão.

Em obediência ao pedido da PGM, os parlamentares da Mesa Diretora cumpriram o ato de ofício justamente na manhã desta quinta e a expectativa sobre a data posse findou por lotar a Câmara. Aliados dos diversos agrupamentos políticos estiveram presentes e, em meio a uma discussão, o funcionário público Luiz Carlos da Caraíba, aliado de Gustinho Ribeiro (SD), chamou Viviane – também conhecida por ‘Vivizão’ e aliada de Valmir – de “sapatão” e disse: “Cuidado pra não cair na pistola”. O motivo do enfrentamento é desconhecido.

Opinião

Com a proximidade das eleições municipais e a tripolaridade lagartense, a corrida para o pleito fica cada vez mais aquecida na cidade. Fato, porém, não justifica qualquer violência para calar – por divergir -, ou para humilhar – por ser diferente. As autoridades precisam investigar o caso.

Assista: