Por unanimidade, professores da rede estadual de ensino encerraram na tarde desta terça-feira (3) a greve que há sete dias foi deflagrada contra três projetos de lei enviados pelo governador Belivaldo Chagas (PSD) à Assembleia Legislativa. Com o fim da paralisação, os professores retornam à sala de aula e, automaticamente, deixam o prédio da ALESE – ocupado ao longo da última semana.

O anúncio foi feito pelo próprio Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Sergipe (SINTESE), em suas redes sociais, através da professora Ivonete Cruz. Segundo ela, “os professores e professoras conseguiram manter o direto ao triênio; o direito as incorporações das gratificações para aposentadoria e o direito a redução de um quarto da carga horária aos 20 anos de trabalho”.

No anúncio, porém, os educadores pontuam que “a reistência vai continuar”. “A luta agora segue para manter a redução de 1/5 da carga horária, aos 15 anos de carreira para todos e todas que estão na ativa”. A greve e ocupação promovida pelo SINTESE repercutiu no estado e aflorou os ânimos justamente em meio ao debate da reforma da previdência estadual.