Havendo interesse público, anualmente, as prefeituras podem contratar funcionários que trabalharam num regime cujo tempo de serviço se estenderá a um máximo de um ano – mas, podendo ser inferior, a depender da necessidade administrativa. Em 2019, Lagarto contratou pouco mais de 1,1 mil trabalhadores nesta modalidade; todos distribuídos nas pastas da Educação e da Saúde.

Chegando dezembro – cada um a seu tempo – os contratos vão se encerrando e ressurgem ao longo do início do próximo ano conforme as necessidades vão reaparecendo; por exemplo, quando as aulas voltarem, funcionários da educação serão recontratados. Os números foram fornecidos pela Secretaria de Planejamento.

Ocorre que 2020 é especial por ser ano de eleição. A prefeita Hilda Ribeiro (SD) anunciou à imprensa na última segunda-feira (2) que a única mudança em relação aos anos anteriores é que aqueles servidores que venham a se candidatar no pleito municipal, deverão deixar a Administração até janeiro. Isto é, parte não muito expressiva destes 1,1 mil talvez não retorne no ano que vem.