Em novembro, foi protocolada na Câmara de Vereadores de Lagarto a emenda supressiva de número 01/2019. A discussão a que se aplicava o texto protocolado era o do projeto de lei nº 96/2019, da Lei Orçamentária Anual (LOA) para 2020. Votação ocorreu em 6 de novembro.

A emenda em questão, assinada pelos vereadores Marta da Dengue (MDB), Gilberto da Farinha (DEM) e Josivaldo dos Brinquedos (CD), suprimia o artigo 10 e seus respectivos parágrafos. Se aprovado, a LOA para o próxima ano não versaria qualquer coisa sobre a possibilidade da Prefeitura firmar convênios “com outras esferas de gorvernaça” – a exemplo da UFS e o Tiro de Guerra – “e entidades privadas” – como a APAE, o Lagarto FC etc.

Ocorre que o texto foi aprovado com a supressão idealizada. Os votos favoráveis foram, do presidente da Casa, Eduardo de João Maratá (PR), e dos vereadores Alex Dentinho (PRP), JC (MDB), Creusa do Oiteiros (CD), Zé do Perfume (PSC), Josivaldo dos Brinquedos, Gilberto da Farinha, Marta da Dengue e Washington da Mariquita (MDB).

Vale ressaltar que o plano de saúde dos servidores municipais também é firmado por meio de convênio com o IPESAÚDE – Instituto de Promoção e de Assistência à Saúde de Servidores do Estado de Sergipe. O Papa-Jaca tentou contato com o presidente da Casa e parlamentares da comissão que impetrou a emenda, mas não obteve resposta.