A causa da forte chuva que parou Salvador desde a madrugada da última terça-feira (26) foi uma frente fria que passou pelo Oceano Atlântico no começo desta semana e avançou pelo leste da Bahia. De acordo com a meteorologista Cláudia Valéria, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), apesar do temporal, o fenômeno climático não chegou a atuar diretamente no estado.

“O fenômeno também deverá atingir Riachão do Dantas, Boquim e Simão Dias.”

Valéria explica ainda que o tempo fechado deve permanecer na capital baiana e na região metropolitana até esta quarta-feira (27), com menor intensidade do na terça. Já na quinta-feira (28), o sol já deve voltar a aparecer. Segundo o diretor do distrito Bahia-Sergipe do INMET, Itajacy Garrido, o sol volta a Salvador, pois as nuvens deverão permanecer se deslocando ao norte – passando por Sergipe – até se dissiparem no mar.

Em análise do Centro de Meteorologia de Sergipe, a informação de que a frente fria deverá passar pelas regiões sul e centro-sul do estado foi confirmada. Ambos os órgãos admitem que isto deverá ocorrer até esta quinta-feira (28).

No entanto, na manhã desta quarta o município de Tobias Barreto já registrava instabilidade. De acordo com a plataforma internacional The Weather Channel, a cidade concentra uma precipitação inicial de 1,8 cm – isto é, 18mm. No calculo pluviométrico, a chuva é forte – sendo consideradas fortes as chuvas que concentram de 1cm à 5cm de precipitação.

O meteorologista sergipano Overland Amaral explicou que as condições do tempo serão marcadas por um aumento de instabilidades que revelam o fim da Primavera e o início do Verão. “Também teremos temperaturas máximas que irão oscilar entre 32°C e 33°C no Litoral e Agreste e irão de 33°C a 35°C no Agreste e Sertão”, afirmou.

Ao saber dos informes meteorológicos, a Defesa Civil de Lagarto emitiu um alerta que já circula nas redes sociais. Em julho, uma frente fria atingiu a cidade e a Defesa Civil, em reportagem publicado pelo O Papa-Jaca, informou que 26 pessoas acabaram ficando desalojadas no município. Além de Lagarto, o fenômeno também deverá atingir Riachão do Dantas, Boquim e Simão Dias.