Fotos de O Papa-Jaca

O trajeto até as escolas do povoado Oiteros – Zona Rural, há 27km do Centro –  não é nada fácil. O próprio significado do nome dado a este povoado significa “monte ou colina”. Em dias de chuva, as ladeiras já dificultosas viram verdadeiras estradas de lama e piçarro, além de uma parte do trajeto precisar ser feito à pé, quando se está de moto, pois uma ponte no caminho é alagada por um dos rios da região. Mesmo assim, a professora Cristiane Ribeiro não deixou de trabalhar.

“Para ajudar, basta ‘adotar’ uma das cartas escritas à mão pelos próprios estudantes.”

Para enfrentar o duro caminho de exercer a profissão num cargo efetivo, houveram ainda outras barreiras. Cristiane foi do grupo de dezenas de professoras exoneradas – ao todo cerca de 700 concursados – pelo ex-prefeito Lila Fraga (PSDB) no primeiro mês de mandato, semanas após terem sido diplomadas por meio de concurso público. A intenção, do então gestor, era manter o poder de seguir fazendo as indicações do baixo funcionalismo através de contratos anuais – privilegiando aliados. Decisões no TJSE reverteram decreto do ex-prefeito e indenizaram os profissionais.

Parcela de alunos fizeram tour pela secretaria após receberem presentes em 2018. FOTO: O Papa-Jaca

Assim que assumiu as funções seu trabalho passou a ser notado. Com um histórico de luta em defesa do animais em ONGs da cidade, Tia Cris, como é chamada pelos alunos, levou – a até então anônima e minúscula – Escola Cândido Barreto Machado, ao 1º lugar na VII Olimpíada Ambiental com o projeto de reflorestamento da nascente do rio Piauitinga. Em dezembro de 2013, mesmo ano da premiação, surge então um projeto de ação beneficente para arrecadação de presentes aos alunos carentes da região.

Só quem já foi ao povoado e conhece de perto a realidade social das crianças sabe que a comunidade possui uma alta presença de famílias abaixo da linha da extrema-pobreza. Desde aquele ano, o projeto só ganhou corpo e, agora, cinco anos depois, Cristiane já foi diretora da Cândido e hoje atua na Aderbal Santos. Os beneficiados com a arrecadação já atinge a marca de 200 alunos.

Pedidos modestos é marca do projeto anualmente; registro de 2018. FOTO: O Papa-Jaca

Este ano, contudo, outras professoras se somaram à iniciativa. Núbia e Nice toparam ajudar e, agora, outros povoados se tornaram alvo da distribuição natalina, são eles: Sena, Campo Limpo e Criolo. Nas redes sociais, o projeto é identificado como 9º Natal dos Sonhos.

Para ajudar, basta ‘adotar’ uma das cartas escritas à mão pelos próprios estudantes e doar o singelo presente pedido. As solicitações vão desde calçados comuns à materiais escolares ou brinquedos de baixo custo. O dia da entrega pode ser acompanhado pelo doador, além de que ocorre dentro de uma extensa programação com música, comida e jogos aberta à comunidade escolar.

Contato para doações:

(79) 9 9919-6821

(79) 9 9889-8488

(79) 9 9855-6151