Há uma semana, na segunda-feira (23), Lagarto teve inaugurado seu Centro Especializado em Reabilitação (CER). Foram cerca de seis anos desde a inscrição no programa do Governo Federal, seguida da garantia dos recursos ao Município, até sua recente conclusão.

“Iniciativa faz parte do Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência – o Viver Sem Limite.”

Além do cadastro, a Prefeitura é responsável também pela execução da obra. Ato inicial foi feito pelo ex-prefeito Lila Fraga (PSDB) em seu primeiro ano de mandato. No entanto, construção seguiu se arrastando ao longo de toda sua gestão, já tendo começado com atraso de um ano em relação à data do projeto. O local escolhido foi a Avenida Lourival Batista, na divisa entre os bairros Ademar de Carvalho e Estação.

No total, mais de R$3,37 milhões foram liberados pelo então Governo Dilma Rousseff através do programa AVANÇAR. De acordo com o Sistema de Monitoramento de Obras (SISMOB) em consulta do O Papa-Jaca, em abril de 2016 – às vésperas do impeachment – pouco mais de 89% já haviam sido disponibilizados. R$1,5 milhões do total foram destinados à aquisição de equipamentos.

CER possui porte para reabilitar deficiências física, intelectual e auditiva. FOTO: Reprodução/PML

Próximo à inauguração, nas redes sociais circularam informações de que o Centro teria alguma ligação com o trabalho e até mesmo emenda parlamentar de políticos locais – a exemplo do deputado federal Fábio Reis (MDB).

Porém, em anúncio ainda presente no site oficial do Ministério da Saúde, o institucional pontua o “financiamento para a construção de outras 88 unidades” do CER, em dezembro de 2013 e que a decisão seria, na verdade, uma “iniciativa [que] faz parte do Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência – o Viver Sem Limite”. Foi justamente nessa época em que ocorreu o cadastro por parte de Lagarto.