Em nova polêmica envolvendo o ginásio lagartense Rosendo Ribeiro Filho, o Lagarto Futsal resolveu se pronunciar oficialmente. No início de agosto, o local ganhou destaque após fotos de emblemas do Botafogo – time carioca – ‘rechearem’ o espaço público. O caso virou notícia no O Papa-Jaca, mas também piada.

“Em janeiro desse ano, [ele] não queria que a gente treinasse.”

Desta vez, o administrador Hermógenes Andrade é acusado de atrapalhar a atuação da equipe da cidade no ginásio. Segundo o presidente Márcio Cruz, em vídeo-denúncia publicado nas redes sociais, após Lagarto se tornar sede da Copa TV Sergipe de Futsal, o time precisou assumir responsabilidades – entre elas, garantir a conformidade do local com as regras da competição.

Entretanto, após vistoria, ficou constatada a necessidade de se esconder algumas logomarcas expostas nas paredes da quadra. Fato teria causado descontentamento por parte de Hermógenes. O time teria precisado pagar o valor referente à permuta – R$513 pagos através do secretário de Cultura, Juventude e Esporte, Adriano Fontes – para enfim conseguir cumprir seu papel. “Se for para o Lagarto não jogar no Ginásio, fale com a gente”, diz Márcio em tom de desabafo.

No vídeo, Cruz comenta ainda que a equipe já chegou a ser quase impedida de ao menos treinar. Mesmo sendo de responsabilidade do Governo do Estado, a Prefeitura teria precisado instalar lâmpadas para garantir a realização dos jogos. “Em janeiro desse ano, [ele] não queria que a gente treinasse”, conta.

Para completar a revolta, o time soube que um funcionário do ginásio estaria sendo demitido. Para Márcio, fato mostra que o administrador atua extrapolando suas prerrogativas. Ele comenta também que teria ouvido do próprio Hermógenes que este iria falar com o deputado federal Fábio Reis (MDB) para resolver o impasse, o que demonstraria ainda a existência de interferência política nos assuntos esportivos.