Duas obras em especial ganharam destaque no debate público municipal: A Nova Entrada da cidade e a Adutora do Piauitinga. Acontece que ambas serão realizadas no mesmo local – o que poderia trazer transtornos, já que as atividades de responsabilidade da Companhia de Saneamento de Sergipe (DESO) demandam escavações que prejudicariam o novo asfalto que as vias da região receberão.

Coma problemática em pauta, foi repercutido que a Administração estaria tentando impedir a obra da adutora. A ideia, mais uma vez, é somar saldo político-eleitoreiro, ao invés de fazer a crítica construtiva ou apresentar alternativa aos problemas. Contrariando o discurso em questão – que recebeu destaque em entrevista do deputado lagartense Fábio Reis (MDB) a uma rádio local e em matéria de site aliado – a própria DESO se reuniu com a Prefeitura nesta quarta-feira (4).

Encontro ocorreu na sede da Município. FOTO: Reprodução/SECOM

Segundo site institucional, “foi decidido que a Deso e a construtora irão viabilizar uma programação para que o cronograma de execução da obra da adutora não entre em choque com o cronograma da construção da Nova Entrada de Lagarto, que tem prazo mais curto, um serviço mais rápido, de seis meses”.

Não é a primeira vez que acusações do parlamentar são desmentidas de maneira circunstancial. Em maio, O Papa-Jaca teve acesso a uma nota técnica do Ministério do Turismo em que este afirmava que novos repasses para reforma da praça Filomeno Hora não haviam sido feitos por “não haver disponibilidade financeira para realização do pagamento”. O deputado tinha dito em entrevista ao Portal Lagartense que o envio não teria sido feito por irresponsabilidade da Prefeitura em não atualizar as medições da reforma.

A obra de ampliação da Adutora do Piauitinga é orçada em R$ 83,5 milhões e integra a segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) – do Governo Dilma Rousseff (PT). O projeto contará com 46,6 km de adutoras, uma captação, uma Estação de Tratamento de Água (ETA), uma Estação Elevatória de Água Tratada (EEAT), um reservatório de distribuição com capacidade de 2.000 m³ e 14.436 ligações prediais.