Em fevereiro, O Papa-Jaca revelou com exclusividade detalhes da prestação de contas da candidata lagartense ao cargo de deputada estadual Marleide Cristina (MDB). Com uma quantidade ínfima de votos e quantidade absurda de dinheiro recebido em campanha, o caso repercutiu como o escândalo sergipano de laranjas políticas.

“Nós já sabemos para onde foi o dinheiro, só que ainda não vamos exteriorizar.”

Pela primeira vez, a história parece ganhar um tom de realidade. Ao longo dos meses, enquanto esteve sob investigação do Ministério Público Federal, a imprensa ficou refém de ilações. Em agosto, o caso específico de Marleide – em denúncia feita por nossa equipe – foi parar nas mãos da Polícia Federal, após a procuradora Eunice Dantas entender haverem “indícios de crime”.

Em conversa com o delegado responsável pelo caso, Antônio Carvalho, O Papa-Jaca soube de detalhes da investigação criminal. Segundo o DPF, “vários políticos foram ouvidos”, incluindo o marqueteiro da campanha Cícero Mendes. “Marleide já foi interrogada. Nós já sabemos para onde foi o dinheiro, só que ainda não vamos exteriorizar”.

O delegado qualifica o ocorrido como “história asquerosa”. Entre a fila de ouvidos, estiveram nesta segunda-feira (2) prestando depoimentos os deputados estaduais – também do partido – Luciano Bispo, Garibalde Mendonça e Zezinho Guimarães. Nossa equipe segue acompanhando o caso.