Há três semanas, O Papa-Jaca revelou com exclusividade que um projeto de lei (18/2019) protocolado no Congresso Nacional pela Presidência da República, previa um corte específico ao campus Lagarto da Universidade Federal de Sergipe (UFS) de R$3,4 milhões. Este seria o terceiro corte a atingir o campus em questão – os outros dois, chamados de contigenciamento, acertam o orçamento da UFS em geral.

Além da previsão de corte à instituição lagartense, o PLN estima também um outro ao Instituto Federal de Sergipe (IFS), mas não especifica um campus. O que se sabe é que o valor atinge negativamente o IFS em R$2,2 milhões. O ministro da Educação, Abraham Weintraub, assumiu que o remanejamento recente de R$926 milhões do orçamento da Educação para outras áreas “representa, sim, um corte” e que este seria para pagar emendas a parlamentares favoráveis à reforma da Previdência.

Na semana passada, O Papa-Jaca provocou os deputados lagartenses com a finalidade de que estes se manifestassem sobre o caso. Em documentos protocolados na Comissão Mista de Orçamento (CMO) – responsável pleo trâmite, tanto Fábio Reis (MDB), quanto Gustinho Ribeiro (SD), solicitaram a retirada das instituições do escopo do novo corte. Ambos argumentam a necessidade do contingente financeiros às IEs.

Verba destinada à UFS Lagarto seria para “reestruturação e modernização” do campus. FOTO: Reprodução

Leia os documentos:

Emenda Fábio IFS

Emenda Gustinho IFS

Emenda Fábio UFS Lagarto

Emenda Gustinho UFS Lagarto