O recesso legislativo se encerrou nesta quinta-feira (1º) e o primeiro grande tema a ser tratado pelos vereadores deverá ser uma pauta levada pelos mototaxistas da cidade. A partir do início do funcionamento de um novo aplicativo para transporte em Lagarto, os motoristas de moto tradicionais estão promovendo um protesto.

O MotoFácil, que passou a funcionar ainda no início de julho, promete viagens mínimas de R$3 aos passageiros interessados. Já o motorista que prestasse seu serviço via app, pagaria uma porcentagem de 10% sobre o valor bruto recebido e registrado na plataforma do próprio MotoFácil.

A modalidade de transporte irritou os mototaxistas, que já haviam questionado a presença do UBER na cidade – este, porém, utiliza apenas carros em sua operação em Lagarto.

Antes de irem à Casa Legislativa, mototaxistas promoveram buzinaço pelas ruas de Lagarto. FOTO: Reprodução

Conforme apurado pelo O Papa-Jaca, a competência sobre a legislação de transporte com motos é municipal. Isto se dá pois em 2009 uma Lei Federal, de nº 12.009, foi promulgada de maneira a regulamentar o serviço de mototaxistas, mas entregando ao Município a possibilidade de “legislar sobre assuntos de interesse local” e “suplementar a legislação federal”.

Dessa forma, os motoristas tradicionais resolveram adentrar a Câmara nesta quinta após buzinaço pelas ruas da cidade. Atualmente, o preço cobrado por eles varia de R$4 a R$5, o que poderia impor uma baixa significativa em seu lucro final. Outra reclamação, destes seria a pouca burocracia para trabalhar através do aplicativo em comparação ao exigido para mototaxistas comuns.