Não demorou muito. Bastou acionar o botão de “solicitar MotoFácil” que conseguimos um transporte. O novo aplicativo, que há dez dias funciona em Lagarto, ainda é pouco conhecido; O Papa-Jaca resolveu explorar um pouco a ferramenta em seus prós e contras.

A estrutura é parecida com a da empresa Uber, que começou a operar na cidade também este ano e virou febre, sobretudo após reportagem da nossa equipe. Os preços são igualmente medidos de maneira proporcional ao tamanho e tempo da viagem – tendo como valor mínimo R$3, mas que seria o suficiente para qualquer viagem curta entre bairros próximos na cidade, já que a tabela começa a aumentar apenas acima de 3 quilômetros.

Nossa equipe conversou com Tiago, um dos sócios da empresa. Segundo ele, “estamos cadastrando quem tiver interesse em prestar esse serviço”, diz ao se referir à campanha para conseguir pessoas que queiram trabalhar no aplicativo. “O valor da corrida será abaixo do cobrado pelos moto-táxis e cobraremos apenas 10% do bruto a cada 7 dias”.

Informe de funcionamento. IMG: Reprodução/MotoFácil

Na tentativa de agregar ao menos 20 ‘motoboys’ – ou ‘motogirls’ – a empresa está liberando 30 dias grátis, isto é, sem pagamento da taxa-aplicativo aos primeiros cadastrados. A iniciativa poderá ser um ônus aos mototaxistas tradicionais diante do preço e da facilidade de chamada dos motoristas. No entanto, mototaxistas tem uma maior facilidade de aderir ao serviço, já que somente pilotos com CNH definitiva podem operar e experiência, assim como na Uber, pode gerar reconhecimento de excelência através de estrelas.

Além de pagamentos via dinheiro, é possível cadastrar um cartão. Para adicionar a funcionalidade e, assim, debitar o valor da viagem sem precisar mexer no bolso, é preciso fazer o cadastro antes da viagem. Com relação ao transporte em si, o MotoFácil possui ainda um espaço para que o passageiro indique um ponto de referência. “Cupons poderão ser distribuídos através de notificação piso ou blogueiros”, conta.

O Papa-Jaca verificou, porém, que o app ainda tem algumas dificuldades. No aparelho utilizado, não conseguimos solicitar um transporte em segundo plano; sempre aparecia o informe de que estávamos desconectados. Ou seja, é preciso se manter no aplicativo.

Também ão é possível adicionar pontos de paradas, isto é, apenas viagens únicas estão disponíveis na versão atual do serviço. Outro incômodo é a falta da opção ‘indicar destino no mapa’; para incluir um endereço é preciso digitar ou o nome do estabelecimento, ou o nome da rua que se pretende ir e seu respectivo número.