Foto de IFS Lagarto

No próximo dia 6, os estados do Brasil deverão conhecer os estudantes selecionados para o Parlamento Jovem 2019. O programa é organizado anualmente pela Câmara de Deputados e dentre os quatros que, desta vez, disputam a vaga sergipana, dois são de Lagarto. O vencedor participará de uma semana de imersão no Congresso, em Brasília (DF).

“Muitas vezes um vereador não tem noção do que é um projeto de lei.”

Um é aluno do Instituto Federal de Sergipe e o outro do Colégio Estadual Prof.º Abelardo Romero Dantas. Respectivamente, Enzo Luiz de Oliveira Menezes e Marcus Vinicius Menezes, escreveram sobre a criação de um Exame Nacional de Competência Política (ENCP) e de um regime de incentivo à produção e uso sustentável de materiais plásticos. As inscrições são individuais.

Banca examinadora estadual. FOTO: Eugênio Barreto/SEDUC

Ao O Papa-Jaca, Enzo conta que a sua ideia é “assegurar que os candidatos aos cargos eletivos possuam a competência mínima para exercer bem a função”. Segundo ele, a importância é compatível com a conjuntura em que se encontra o país. “As assembléias legislativas, por exemplo, estão cheias de políticos eleitos por práticas coronelistas, que não avaliam de fato a capacidade deles e o conhecimento que possuem sobre o cargo que ocupam. O preocupante disso tudo é que muitas vezes um vereador não tem noção do que é um projeto de lei. O mesmo serve para membros do executivo”.

“Até 2050 haverá mais plástico do que peixes nos oceanos e mares.”

Já Marcus Vinicius, revela ao Institucional na Secretaria de Estado da Educação (SEED) que seu projeto nasceu de uma reflexão sobre a política ambiental adotada pela multinacional Adidas. “Certa vez estive acompanhando como eles fazem esse trabalho, a partir daí surgiu a oportunidade de participar do PJB e não tive dúvidas de que meu projeto seria sobre essa temática”.

Aluno do CEPARD cursa o 3º ano do Ensino Médio. FOTO: Divulgação/UE

Para dar embasamento ao seu projeto, ele apresenta números importantes na justificativa. “De acordo com dados da Ellen MacArthur Foundation de 2017, cerca de 8 milhões de toneladas de plástico são despejadas nos oceanos anualmente. Se essa situação se manter constante, até 2050 haverá mais plástico do que peixes nos oceanos e mares”, pontuou ao PJB.