O Governo de Sergipe emitiu uma nota pública explicando que reuniu, já nesta quinta-feira (11), um gabinete de situação – nada mais que um grupo com técnicos específicos – para monitoramento da situação das barragens com as chuvas no estado nos últimos dias.

Participaram da reunião a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (Sedurbs), Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso), Superintendência Especial de Recursos Hídricos e Meio Ambiente (Serhma), Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe, Defesa Civil do Estado e dos municípios de Aracaju, Nossa Senhora do Socorro e São Cristóvão. A principal discussão da reunião girou em torno da possibilidade de rompimentos no estado.

No informe sobre Lagarto, a barragem da cidade está colocada entre as que estão sob monitoramento do gabinete em questão. Além da Dionísio Machado, a vazão do Rio Piauitinga também estaria sendo acompanhada.

Barragem Dionísio Machado é abastecida pelo Rio Piauitinga. FOTO: Reprodução

O alerta, para eventual rompimento, visto como pequeno pelo grupo, é direcionado à população dos municípios de Salgado e Estância. No entanto, em reportagem de fevereiro O Papa-Jaca divulgou dados do Mapa da Agência Nacional de Águas (ANA) em que aponta a barragem de Lagarto como tendo risco de rompimento considerado médio. Já o dano potencial, isto é, o grau de desastre associado, seria alto.