Na quinta-feira (27) o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (GAECO) confirmou ter protocolado, contra o então prefeito afastado de Lagarto, Valmir Monteiro (PSC), um novo pedido de prisão preventiva. O pedido também se estendia ao atual secretário de Obras, Noel de Souza. Assim como o Habeas Corpus, o pedido do MPSE foi enviado ao Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE) e este o negou nesta segunda-feira, 1º.

Apesar da negativa à prisão, a Justiça achou prudente aplicar um novo afastamento ao gestor e estender a decisão ao secretário – que até hoje pertence aos quadros do Município. O Ministério Público poderá recorrer da decisão, sobretudo se no decorrer da investigação e, antes da oferta da denúncia, houverem fatos novos contra os réus.

Conforme apurado pelo O Papa-Jaca, o GAECO investiga um suposto novo desvio, superior a R$1,1 milhão, através da Real Construtora. O processo já corre no âmbito criminal e, por isso, foi possível solicitar um novo pedido. Em caso de condenação, Valmir e Noel poderão pegar até 12 anos de prisão pelo crime de desvio. Lavagem de dinheiro também é investigada.

Este já é o segundo processo criminal contra Monteiro. O primeiro, envolvendo o Matadouro, também apura desvio milionário e já está em estágio avançado – tendo a denúncia sido oferecida em março e, com isso, o inquérito policial concluído.