De 20 a 24 de fevereiro, ocorreu, no Parque Tecnológico de São José dos Campos, uma das competições do Programa Baja SAE BRASIL. Cerca de 1,7 mil estudantes de cursos de engenharia participaram e quem se prepara para representar Lagarto nas próximas edições é um grupo de discentes do Campus Lagarto do IFS.

– Esta é uma parceria entre que propicia aos alunos de engenharia de todo o Brasil apresentarem seus projetos inovadores. Neste local, os alunos têm a oportunidade de mostrar as competências técnicas, lideranças e administração de projetos ao público e aos avaliadores dos projetos – diz Otacílio Gomes, diretor geral da SAE BRASIL, ao comentar os objetivos do Baja.

Para participar, os estudantes precisam desenvolver, de maneira inteiramente autônoma, um veículo off-road – isto é, o popular fora-da-estrada – e que contenha unicamente um condutor. No requisito velocidade, os discentes são contados a desenvolver um projeto com desempenho líder de mercado. Manobrabilidade, conforto e robustez em terreno acidentado também são avaliados sob o mesmo critério.

Cálculos da estrutura do veículo. FOTO: Danniel Prata/O Papa-Jaca

Quem conversou com O Papa-Jaca foram os alunos Gustavo Ramos e Vinicius Nogueira – que lideram o projeto lagartense. Segundo Gustavo, a inciativa surgiu a pouco mais de um ano, mas a “mão na massa” foi recente. Para Vinicius, a maior parte do tempo foi gasta com o desenvolvimento do projeto, estudos de viabilidade, orçamento e outros.

De acordo com os estudantes, o projeto chegou a um custo de R$30 mil. “Isto sem contar os recursos para levar a equipe até a competição; apenas construção do baja”, pontuam. No entanto, a equipe já conseguiu pouco mais de 80% dos recursos orçados. Parte gigantesca desse recurso adveio de uma bolsa institucional do próprio Instituto Federal. “Agora, nós contamos com o apoio de quem puder nos ajudar para conseguirmos o restante”, contam. Além de arrecadarem, os discentes dizem que até venda de brigadeiros é feita para juntar fundos e, assim, concluírem o veículo.

Além da nacional, há também as etapas regionais – subdivididas em Sul, Sudeste e Nordeste. Atualmente, Sergipe possui uma única equipe e que pertence à Universidade Federal. Dessa forma, o IFS Lagarto estará inovando ao inserir-se na competição. Promete inovar, também, na utilização de corrente para dar movimento ao carro.

Disputa nacional. FOTO: Reprodução/Mecânica Online

Outro fator do projeto são as próprias peças. Sem contar aquelas que são montadas pelos próprios alunos nas máquinas dispostas pelo IFS, outra parcela é importada, não apenas de outros estados, mas, inclusive, países.

Importância

Em um banner da equipe, estes colocam Baja SAE como um “desafio estudantil” que promove o que chamam de “experiência de aplicar na prática seus conhecimentos”. A avaliação do projeto final desenvolvido garantiria “excelência internacional”, o que permitiria prepará-los para o mercado de trabalho.