Na manhã da segunda-feira (6) O Papa-Jaca conversou com o diretor do campus Lagarto do Instituto Federal de Sergipe (IFS), Osman dos Santos, sobre o anúncio de cortes na rede federal de ensino anunciado pelo Governo na semana passada. Até a conversa, não havia qualquer portaria enviada ao IFS confirmando a “tesourada” e informando seu respectivo valor. Osman estimou que a perda orçamentária poderia chegar a 45% nas verbas de custeio e que, em caso de confirmação do corte, “não teremos como funcionar após setembro”.

Horas depois, o Instituto em Sergipe emitiu uma nota confirmando que o Ministério da Educação cumpriu o anúncio e cortou 37,58% na verba para manutenção básica do IFS. No texto, a instituição pontua medidas que serão tomadas para sobreviver à medida. “Mesmo diante do cenário iminente de dificuldade, o IFS ressalta o seu compromisso com a oferta da educação pública de qualidade, único caminho possível para o alcance de um modelo de país justo, desenvolvido e igualitário”, finaliza.

Leia a nota na íntegra:

A reitora do Instituto Federal de Sergipe vem informar a todos os professores, técnico-administrativos, alunos, colaboradores e sociedade sergipana que, na última semana, o Governo Federal anunciou um corte orçamentário para os Institutos Federais.

O corte afetará o Instituto Federal de Sergipe (IFS), alcançando 30% do orçamento global e atinge fortemente o custeio, no percentual de 37,68%. Recursos esses que garantem o funcionamento da instituição. Este bloqueio dificulta ao IFS honrar compromissos como água, luz, internet e os mais diversos contratos.

Levando em consideração o novo cenário, medidas locais e nacionais estão sendo tomadas para reversão do quadro de dificuldade. Do ponto de vista da gestão do IFS, emitiremos um memorando circular, o qual prevê as seguintes providências:

1) Suspensão das despesas com capacitação, exceto as que já tiveram empenhado à taxa de inscrição e/ou emitido as passagens aéreas. Serão priorizados os cursos in company;

2) Suspensão, a partir de 06 de maio de 2019, de todos os eventos integradores, que envolvam a participação de estudantes e servidores de diversos campi do IFS, exceto solenidades de formatura e/ou certificação trabalhos/atividades já aprovadas, e/ou eventos específicos do campus;

3) Sejam garantidas as realizações das visitas técnicas, mas, na medida do possível, com redução do número de docentes que acompanham os discentes, uma vez que os cortes não atingiram a Assistência Estudantil; e

4) Adoção de medidas de economia de água, energia elétrica, combustível e telefonia.

Do ponto de vista nacional, o IFS está participando ativamente das discussões e as ações empreendidas pelo Conselho das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), instância representativa das instituições da qual o IFS faz parte. Entre os dias 7 e 9, os membros do Conif estarão reunidos em Brasília para buscar meios de resolver a questão do corte orçamentário. Essa reunião contará com a presença de Ariosto Antunes Culau, secretário da SETEC/MEC, órgão do Governo Federal responsável pela coordenação nacional da política de educação profissional e tecnológica (EPT) do país.

No dia 10, a direção do Conif terá uma reunião com o ministro da educação, Abraham Weintraub, na qual se buscará reverter as medidas que impactaram no corte orçamentário dos Institutos Federais do país.

Por fim, mesmo diante do cenário iminente de dificuldade, o IFS ressalta o seu compromisso com a oferta da educação pública de qualidade, único caminho possível para o alcance de um modelo de país justo, desenvolvido e igualitário.