Além de contingenciar R$ 5 bilhões da LDO 2019 à Educação, o Ministério da Educação anunciou que iria cortar 30% do repasse de verbas a universidades que fizessem ‘balbúrdia’. Horas depois, declaração foi corrigida à informação de que o corte atingiria todas as universidades e institutos federais – de maneira “isonômica”, nas palavras de Abraham Weintraub, atual MEC.

Sob suspeita de censura, o então ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, foi indagado sobre a questão em entrevista na Globo News na manhã desta quinta-feira (2). Em sua tentativa de justificar a medida, o ministro utilizou a Universidade Federal de Sergipe como exemplo, mas mentiu e omitiu algumas informações, como: (1) A UFS possui, na verdade, 5 cursos de doutorado/mestrado com nota 5 avalizada pelo CAPES, (2) está dezenas de posições acima da Universidade Tiradentes – UNIT – em rankings universitários, como o organizado pela Folha de São Paulo, e (3) apesar de possuir um orçamento 3 vezes maior que o da instituição privada citada, possui quase 10 vezes mais cursos de pós-graduação.

A pergunta feita ao demista foi se o Governo cortaria verba de centros universitários federais que não seguissem a linha ideológica governista. Foi então quando Onyx disparou a fala. A UFS já emitiu nota se posicionando contrariamente em relação à fala do ministro.

Assista ao trecho: